Associação de Atletismo de Aveiro

 
 

NOTÍCIA

RICARDO ESTEVES O TREINADOR QUE TEM GARANTIDO PÓDIOS NACIONAIS PARA AVEIRO

03-10-2017

Treinador do Águeda continua a "colecionar" títulos nacionais. De Oliveira do Bairro para Águeda, apenas mudou o nome do clube, as vitórias continuaram.


Ricardo Esteves, treinador do Recreio Desportivo de Águeda, teve uma época em grande, onde se realçam os segundos lugares da sua equipa feminina e vários atletas chamados à seleção nacional. A imagem de sucesso que trazia de Oliveira do Bairro, na ADERCUS, o treinador de Estarreja, não só deu continuidade como melhorou. Em Águeda apareceram novos valores, com a equipa a ser uma das que mais atletas filiados apresentou na época que está prestes a terminar. Um trabalho de sucesso, que pretende melhorar na terra dos Galos de Botaréu.

 

AAA - O segundo lugar em estrada e em corta mato, foram a confirmação dos bons resultados que vinham acontecendo na ADERCUS?

RE - Sim, de facto é a continuidade do trabalho de um grupo de atletas Sénior feminino, muito experiente e responsável, que na altura certa dá sempre garantia de estar ao melhor nível.

 

- Os resultados desta época reforçam ainda mais a aposta do Recreio de Águeda na modalidade?

- Na minha opinião, já marcamos a história do clube com um título de equipa sénior feminina campeã nacional de corrida de montanha e três segundos lugares, em estrada, corta-mato longo e curto. Acresce ainda cinco internacionalizações, que foram o Carlos Claro, a Beatriz Rodrigues, a Elisabete Azevedo, a Joana Nunes e a Carla Martinho. Foram conquistadas muitas medalhas em campeonatos nacionais e finais nacionais, acrescendo ainda a obtenção de vários recordes distritais batidos por jovens, como foi o caso do Ricardo Martins, Fábio Simões, Sofia Almeida, Carlos Claro e Beatriz Rodrigues. Assim sendo, com uma imagem de excelência da modalidade, o clube quer reforçar a aposta, nomeadamente no que diz respeito ao aumento do número de jovens praticantes.

 

- Com a mudança para o Recreio de Águeda deu-se um aumento considerável no número de atletas no seu grupo de trabalho?

- Sim, houve um acréscimo de jovens e um número muito grande de praticantes de trail running, que agora está muito em voga.

- O Recreio de Águeda tem apoiado a modalidade?

- Tem sido feito o possível para levar o barco a bom porto, em época de arranque da modalidade no clube, e atualmente estão a ser desenvolvidos esforços para que possamos suprir todas as necessidades com vista à consecução do nosso trabalho.

 

- A Beatriz Rodrigues teve esta época além dos diversos pódios a nível nacional, várias convocatórias para representar Portugal. Estamos perante um valor de futuro?

- Sim, sem dúvida. Desde que a transição para a “vida adulta” seja normal, permitindo-lhe manter a mesma atitude de treino, a Beatriz Rodrigues será uma atleta de bom nível internacional. Esta época, à partida para o europeu de Juniores, era a 13ª melhor do ranking dos 800m da Associação Europeia de Atletismo, sendo júnior de primeira época.

 

- Da ADERCUS veio para Águeda um grupo de atletas que apostava essencialmente no fundo e meio fundo. Em Águeda surgem também velocistas, as condições potenciam o aparecimento de mais variantes da modalidade?

- A experiência diz-me que existem bolsas genéticas em determinadas zonas, com determinados perfis atléticos, e em Águeda são mais os atletas com características de velocistas, salvo algumas excepções como é o caso do jovem Fábio Simões, que é um excelente atleta de meio-fundo.

 

- O Carlos Claro foi chamado à seleção nacional, é um valor para aparecer?

- O Carlos Claro, sendo Juvenil de primeira época, e tendo registado por exemplo aos 200m 22,57 segundos, com vento regulamentar, revela um talento acima da média, acrescendo o facto de ter tido um pico de crescimento esta época que lhe causou alguns problemas, condicionando a obtenção de resultados ainda melhores. Assim, desde que o atleta mantenha a mesma atitude perante a modalidade, de humildade e dedicação, poderá alcançar um patamar bastante elevado.

 

- O Recreio de Águeda continua a ser o clube com mais atletas na seleção nacional de montanha, vão continuar a apostar nesta especialidade?

- Sim, irá continuar a ser uma aposta desde que a vontade e a saúde das atletas o permita.

 

- O seu grupo de trabalho tem um rosto, a Carla Martinho, é a “bandeira” da equipa?

- A Carla Martinho é sem dúvida um exemplo nos últimos tempos para todos os atletas que convivem de perto com ela no treino e em competição, pela atitude de entrega, inteligência na condução do esforço e superação. Por vezes partilha mesmo com os colegas o arrependimento por não ter tido a mesma entrega ao treino quando era mais jovem e demonstra-lhes que os resultados dos últimos tempos não são mais do que o resultado de mais trabalho e que passou a ser sistemático.

 

- Como colaborador Técnico Regional, como analisa o atletismo aveirense?

- O nosso atletismo distrital está num bom nível global, avaliando o atletismo jovem e o de rendimento. O nível global do atletismo juvenil é satisfatório, como se pode ver por exemplo na final nacional do triatlo técnico (7º lugar), km Jovem (6º), no Tetratlo (4º), no torneio Inter-Associações de Infantis de Cantanhede (1º), embora na final nacional do Olímpico Jovem tivéssemos obtido o 8º lugar, que ainda assim é uma classificação honrosa. Ressalvo que algumas pessoas pecam por avaliar o atletismo jovem distrital por um único momento, que é o Olímpico Jovem nacional, e como jovens que são, por vezes têm momentos menos felizes, como aconteceu este ano a alguns atletas que até já tendo alguma experiência, estiveram muito bem numas provas e falharam naquele dia noutras. Por isso há que analisar a situação pela globalidade das participações e não por uma competição em particular. Deixo o exemplo da Beatriz Rodrigues para relativizar a importância dos resultados enquanto jovens, pese embora todos gostamos de ganhar, que no primeiro ano de Juvenil, até a correr pela seleção do Desporto Escolar, nem ao pódio foi (4ª classificada), e que atualmente como Junior ganha medalhas em todos os campeonatos nacionais em que participa e é uma atleta de bom nível internacional.

No que diz respeito ao rendimento, considero que o nível global é bom, atendendo às presenças no pódio dos campeonatos nacionais de estrada, corta-mato e montanha de equipas aveirenses, na final dos campeonatos de clubes de pista coberta da I divisão feminina, ao ar livre na II divisão masculina, as internacionalizações de vários atletas desde os Juvenis aos Séniores e Masters, inúmeras medalhas individuais obtidas em campeonatos nacionais, e ainda a presença dos nossos Juízes em competições de grau nacional.

 

- A falta de condições para a prática da modalidade tem impedido um melhor desenvolvimento do atletismo no distrito de Aveiro?

- Respondo a esta questão dizendo que sim, mas que não será apenas por isso em todas as disciplinas. Fui atleta de meio-fundo do tempo das pista de cinza e, como muitos se lembram, havia muita gente a correr muito rápido, desde a velocidade, ao meio fundo e fundo É verdade também que atualmente as instalações desportivas das outras modalidades são apelativas e as nossas também deveriam ser. Depois há ainda a questão das orientações dos objetivos e da realidade de cada clube, e ainda da falta de clubes em alguns concelhos do nosso distrito. Indo um pouco atrás, para terminar, não será realmente fácil treinar algumas disciplinas técnicas sem as condições mínimas, como por exemplo nos saltos horizontais sem caixa de areia; os verticais sem os colchões; a corrida de balanço é diferente da terra batida, ou de outra superfície, para o tartan, tal como a distância de passada entre barreiras; a falta de jogos de varas que não permitirá ir muito além da iniciação, etc.

 

 

 

Conhecer melhor Ricardo Esteves

- Livro: O Sorriso das Estrelas.

- Tempos livres: Estar com amigos.

- Prato preferido: Cozinha tradicional portuguesa.

- Carne/ peixe? Peixe.

- Local preferido: O Gerês.

- Mar ou campo? Prefiro o campo.

- Ídolos: Pessoas que conseguem ultrapassar grandes dificuldades e que as conseguem vencer.

- Música preferida: De um modo geral gosto de estilo Pop.

- Filme preferido: A Culpa é das Estrelas.

- Indispensável: Equipamento para o treino e o telemóvel.

 

@ aaaveiro

 

voltar

PRÓXIMOS EVENTOS

23-12-2017

Torneio Aos Seus Lugares

Aveiro
ver (+)

INFORMAÇÕES

Comunicados Oficiais 2017/2018

 

Normas Administrativas 2017/2018

 

Calendário Oficial 2017/2018

 

Ficha de inscrição 2018

 

Boletim de Filiação AAA 2017/2018

 

APOIOS

Ria BladessagipermcdonaldsTensaiAveiprintDelta
© 2015 Associação de Atletismo de Aveiro | By INOVAnet